Arte

Cores puras de Henri Matisse

Artista francês entrou para história porque foi o criador do movimento fauvista, estética que valorizava uma paleta vibrante e vanguardista para o início do século 20.

Henri Émile Benoit Matisse (1869-1954) não seria considerado um dos nomes mais importantes da história da arte se não tivesse sofrido uma crise de apendicite quando tinha vinte anos. Acamado, ganhou de sua mãe uma caixa de pintura e assim descobriu o prazer pelo ofício. Com esse material, criou a obra Natureza Morta com Livros, em 1890.

O artista, que nasceu em Le Cateau-Cambrésis, no norte da França, já era um advogado formado quando ficou doente. A descoberta vinda da adversidade só reforçou a sua vocação. Existem muitas outras curiosidades sobre a vida e a carreira do artista que criou o Fauvismo e lota museus com visitantes que buscam se encantar com sua obra tão única e vibrante. Acompanhe!

Deixou a advocacia para virar artista, uma afronta à família

No início de 1891, Matisse abandona a carreira de advogado e vai para Paris estudar na Escola de Belas Artes. O aprendizado começa com William-Adolphe Bouguereau (1825-1905), presidente da Sociedade de Pintores e Gravadores. Não muito satisfeito com as reprimendas do professor, passa a frequentar o curso do pintor Gustave Moreau (1826-1898). Em 1896 participa da exposição no Salão da Sociedade Nacional de Belas Artes com as telas: Mulher Lendo (1894), que é comprada pelo governo para a residência presidencial, Natureza Morta com Pêssegos (1896) e Natureza Morta com Faca Negra (1896).

Croqui em cinco minutos

A Académie de la Grande Chaumière, hoje Académie Charpentier, é uma escola de arte que fica em Montparnasse, Paris. Fundada em 1902 pela suíça Martha Stettler (1870-1946). No início do século, a academia oferecia cursos completos, mas também um serviço único de “croquis à cinq minutes” que proporcionava, pelo pagamento de uma entrada por sessão, a possibilidade de fazer desenho de modelo vivo. Matisse, Amedeo Modigliani (1884-1920) e Alberto Giacometti (1901-1966) estudaram ali. Os brasileiros Vicente do Rego Monteiro (1899-1970) e Wesley Duke Lee (1931-2010) também passaram por lá.

Telas aprisionadas

No início de século, em 1905, Matisse participa de uma exposição que iria mudar sua vida. Ele apresenta seu trabalho no Salon des Independants (Salão dos Independentes), ao lado de Albert Marquet (1875 – 1947), entre outros. A aparência das pinturas agrupadas em uma sala, segundo o influente crítico Louis Vauxcelle (1870 – 1943), parecia uma gaiola com feras (fauve).  A expressão fauvismo caiu nas graças da turma e foi reivindicado pelos próprios pintores, sendo o francês eleito líder da nova onda.

Gertrude Stein foi mecenas

Uma das primeiras pessoas a pendurar um quadro de Matisse na parede foi a escritora americana Gertrude Stein (1874 – 1946). Amiga de artistas e intelectuais, Stein foi uma das maiores agitadoras culturais europeias do início do no século XX.

Muito além da paleta

Além de pintor e escultor, Matisse navegou por outras artes e foi igualmente notável. Ilustrou uma edição de As Flores do Mal, de Baudelaire, e de Ulisses, de James Joyce. Também fez figurinos e cenários para uma montagem teatral do clássico O Vermelho e o Negro, de Stendhal.

Gostou das curiosidades que trouxemos sobre o artista Matisse? Conta pra gente aqui nos comentários o que você achou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: