Rosangela Perry: uma nova vida depois dos 40 anos

Artista do acervo da Urban Arts com um portfólio de mais de 200 obras conta como se reinventou depois de descobrir a fotografia

A fotógrafa Rosangela Perry tem mais de 200 obras no site da Urban Arts.

Cansada de uma carreira consolidada no serviço público com estabilidade financeira, viagens e segurança, Rosangela Perry resolveu estudar inglês nos Estados Unidos, onde sua irmã já morava. “Eu precisava fazer algo diferente”, lembra a artista que faz parte do acervo da Urban Arts, onde ela tem mais de 200 obras. A temporada de estudos indicou à profissional formada em Ciências da Computação que uma mudança se aproximava. Tempos depois, resolveu imigrar para aquele país, matriculou-se em um curso de Arquitetura, passou a fotografar regularmente de maneira profissional e descobriu que sua vida poderia ser outra, mesmo começando depois dos 40 anos. “Tive muita coragem para largar tudo. Apesar da saudade do Brasil, sou muito feliz”, diz, por telefone da casa onde mora com o marido americano, em Oakland, na Califórnia.

Obra: Couple @ LA

Rosangela sempre registrou paisagens urbanas durante suas viagens, mas recentemente, seu olhar profissional se impôs depois de estudar. “Meu interesse está em como as pessoas se relacionam com a arquitetura das cidades, não tenho uma marca registrada, combino estilos”. Apaixonada por São Paulo e Paris, hoje mora perto e clica dentro do Yosemite National Park, local que serviu de inspiração para o fotógrafo Ansel Adams (1902-1984).

A pedido do blog da Urban Arts, a fotógrafa Rosangela Perry escolheu três fotos de seu portfólio à venda no site da marca para contar os bastidores de como ela foram clicadas.

Acompanhe:

Hall de entrada em Alcatraz

“Construída em 1934 e desativada em 1963, a prisão federal de Alcatraz, apelidada de A Rocha, abrigou os mais perigosos criminosos americanos do seu tempo. Hoje o espaço é aberto para visitas. Estive no hall de entrada e queria fotografar o espaço vazio, uma tarefa praticamente impossível. Optei por fazer um jogo de sombras com o branco e preto da imagem. Se olhar bem, verá que há pessoas ali, vagando. Como as almas que passaram por ali”.

Obra: Hall de entrada em Alcatraz

Ouvi a poderosa árvore #6

“Tenho mais fotos em preto e branco do que coloridas, mas a luz desse registro me seduziu. Costumo dizer que sou prima das árvores, porque gosto de abraçá-las. Dentro do Yosemite National Park, as espécies Redwoods têm mais de 2 mil anos. Esse clique é simples, porém majestoso”.

Obra: Ouvi a poderosa árvore #6

Cenas de Paris #12

“São Paulo e Paris são as cidades que mais gosto no mundo. Sentei por umas quatro horas na frente dessa floricultura tentando registrar a foto perfeita e tudo parecia tremido, pois as pessoas estão em constante movimento. Então eu percebi que a foto era essa, não muito nítida, afinal, passear por Paris é um dos grandes prazeres de estar por ali”.

Obra: Cenas de Paris #12

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s