Quarto jovem e feminino para uma TikToker cheia de estilo

Confira o projeto com muita Urban Arts desenvolvido pelo escritório Bélô Design

⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅

Engenheira de formação e especialista em comunicação e marketing, para Patrícia Máximo, profissional à frente do escritório Bélô Design, cada pessoa, família ou empresa tem o seu próprio jeito de viver – e é através dele que as histórias são contadas. Com a valorização da trajetória e entendendo os desejos tão particulares de cada cliente, Patrícia procura transformar espaços com essência e significado, criando ambientes capazes de refletir conforto e aconchego, mas também agregar praticidade e funcionalidade.

Obras: Abstato Arcos Terracota II – díptico, por Art&Co1 / Amor Gera Amor, por Lôla / Umb ||, por Felipe Calazans
Fotos – Amauri Fujii fotografia

No projeto que você acompanha no #UAblog de hoje, o desafio do escritório era desenvolver e decorar um quarto para uma adolescente super conectada e cheia de personalidade. A prioridade para o cômodo era criar um ambiente que aliasse versatilidade para estimular toda a criatividade desta geração, sem deixar de lado os elementos que caracterizassem o estilo da jovem. 

Fotos – Amauri Fujii fotografia

Pensando nisso, a profissional optou por criar um espaço totalmente instagramável, com diferentes cenários e possibilidades para gravar vídeos e tirar fotos. Partindo dessa ideia, os espelhos (tiktokers amam) ganharam um grande espaço no cômodo. A fim de criar uma iluminação estilosa e ideal para um verdadeiro cenário, a aposta foi por um LED colorido na iluminação do teto. Na estante e ao lado da cama outros pontos de luz pontuais foram inseridos.

Fotos – Amauri Fujii fotografia

Para manter funcionalidade no cotidiano da moradora, pontos de tomadas foram escondidos por toda marcenaria, garantindo bateria longa para todas as atividades do dia. Nichos e gavetas aparentes também foram criados para facilitar a organização.

Obras: Abstato Arcos Terracota II – díptico, por Art&Co1 / Amor Gera Amor, por Lôla / Umb ||, por Felipe Calazans
Fotos – Amauri Fujii fotografia

Na paleta de cores, os tons da madeira presentes no piso e no mobiliário surgem para criar um efeito de acolhimento no ambiente, aliados aos diferentes tons de rosa que se destacam nos quadros da Urban Arts. As peças foram escolhidas pela própria adolescente com a ajuda da equipe da Urban Arts Campinas. 

Agradecimentos especiais:

Projeto – Bélô Design
@oibelodesign

Fotos – Amauri Fujii fotografia
@amaurifujii

Obras – Urban Arts Campinas
@urbanarts_campinas

A vista de cima: confira uma seleção de fotografias aéreas

⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅

Em algum momento, qualquer pessoa já imaginou como seria voar. E seja andando de avião ou, para os mais radicais, do alto de montanhas, saltando de asa-delta, paraquedas e similares, o grande destaque que essas atividades oferecem é a vista do alto.

Cada vez mais admiradas, as fotografias aéreas são capazes de nos oferecer um olhar diferente para lindas paisagens, captando a imensidão de lugares, as diferentes texturas ou até mesmo a composição de um cenário onde estamos inseridos.

Com o avanço tecnológico e a existência de equipamentos mais acessíveis para esse estilo de obras, como os drones, as fotografias aéreas estão alcançando resultados únicos e de tirar o fôlego. Confira uma seleção de peças neste estilo presentes no acervo da Urban Arts!

GUARU PARTE 1, por Humberto Mauro
BANCADA DE CORAIS DE MURO ALTO – PERNAMBUCO, por Breno Pessoa
STREET_LIGHTS, por serjosoza
DO ALTO, O MAR V, por Ranalli
ILHABELA E SEU MAR, por Humberto Mauro

Transforme a casa no inverno: campanha da Urban Arts traz descontos de até 20%

Ação é válida nas galerias físicas para compras de quadros à pronta entrega


A estação mais fria do ano chegou e, pra quem quer mudar a cara da casa neste inverno através da decoração, a Urban Arts preparou uma ação mais do que especial: começou a campanha de descontos de inverno!

Durante o período da ação, que ocorre até de 7 de agosto, nas compras de quadros à pronta entrega realizadas nas galerias físicas, os descontos são progressivos – a partir de dois quadros, o desconto é de 10%. Ao adquirir três artes, o desconto chega a 15% no valor total, e de 20% a partir da quarta peça. Já para as compras realizadas pelo site, o frete é grátis.

She 23S da Helo, Helo Moraes
She 23 N da Helo, Helô Moraes
Abstract – Terra 28.2 – Juliana Scheuer
Urban Chuva 01.1, Juliana Scheuer
Abstract 28.2, Juliana Scheuer
Magic Fox, Caruzo
A Casa Flutuante, Wong.Art
Fantasia no Campo, Wong.Art
A Iluminação, Gabriel Soares – Froostart

Não vai ficar de fora dessa, né? Corra para a galeria mais próxima e aproveite para encher o lar de arte com a Campanha de Inverno Urban Arts!

5 obras de Emanuela Carratoni

Conheça o trabalho da #UArtist que já conta com mais de 150 obras na plataforma da Urban Arts

Nascida em Roma, na Itália, a #UArtist Emanuela Carratoni é formada em arquitetura e iniciou a carreira restaurando prédios históricos na cidade. Em meio a lindos cenários e paisagens naturais exuberantes, Emanuela passou a criar uma nova paixão: a fotografia.

“No início, me aproximei deste mundo fotografando para banco de imagens. A partir daí, comecei a ir a sites de ‘impressão sob demanda’ onde vendia imagens e texturas feitas por mim ou fotografadas. Agora, o trabalho como artista independente se tornou minha principal ocupação. Nas horas vagas ainda ajudo meu parceiro que também é arquiteto”, explica a artista.

Inspirada principalmente pela natureza, atualmente, a artista desenvolve para a Urban Arts obras digitais. Além de peças que exploram as texturas de plantas e animais, ioga e astronomia são temas recorrentes nas criações da artista. Confira uma seleção delas!

NEUTRAL MONSTERA LEAVES, por EMANUELA
O CORPO DELA, por EMANUELA
TIGRE COM A LUA NA SELVA, por EMANUELA
BORBOLETAS COR DE ROSA, por EMANUELA
NEON MOON, por EMANUELA

Apartamento com muito conforto e personalidade assinado por SS Arquitetura

⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅

O escritório SS arquitetura e interiores preza por conhecer a fundo cada cliente, entrar na rotina e compreender o que sonham e almejam. Para cada projeto existe um processo criativo especifico, sempre buscando atender todos os desejos de forma completa.

“Costumo dizer que arquitetura nada mais é do que compilar as ideias dos clientes, de forma que elas fiquem organizadas, sofisticadas, funcionais. Para assim, trazê-las para o mundo real”, explica a arquiteta à frente do escritório, Shayanne Secaf.

Obras: GENTLE BEAUTY 9, por dada22 / MAR DOURADO, por Pedro de Abreu Libanio
Foto: Leonardo Costa Carvalho

No projeto que você confere no #UAblog de hoje, o desafio era reformar completamente um apartamento antigo de 110m², localizado no bairro da Glória, na Zona Sul do Rio de Janeiro. O principal objetivo era tornar os ambientes mais amplos para a família.

Obras: MAR DOURADO, por Pedro de Abreu Libanio / MINIMAL MI1 TRIBUTE THE BIRDS, por Marcia Vasconcellos Foto: Leonardo Costa Carvalho

Originalmente composto por um hall privativo, três quartos, cozinha, 2 banheiros sociais e dependência de serviço completa, a principal mudança estrutural no imóvel foi integrar alguns ambientes para gerar mais amplitude.

Obra: FLORAL AZUL #1, por Rafaela Brasileiro
Foto: Leonardo Costa Carvalho

Para oferecer mais conforto aos moradores, um dos quartos foi transformado em suíte. Já a parede que dividia a cozinha da dependência de serviço foi demolida para aumentar e reorganizar o espaço disponível no cômodo. O banheiro social também foi expandido.

MINIMAL MI1 TRIBUTE THE BIRDS, por Marcia Vasconcellos
Foto: Leonardo Costa Carvalho

Na sala, elementos naturais foram as apostas certeiras para criar um ambiente mais acolhedor. Além do mobiliário em madeira, a escolha para o revestimento foi por um porcelanato que reproduz o efeito do mármore. No living, destaque para o painel em marcenaria que envolve o hall e todo o restante do cômodo com muita sofisticação.

Foto: Leonardo Costa Carvalho

Com uma paleta de tons neutros nos ambientes, a personalidade surge nos detalhes: plantas e obras de arte dão o toque de vida necessário para o projeto.

Arquiteta Shayanne Secaf

Agradecimentos especiais:

Projeto:
SS arquitetura e interiores – @shayannesecaf

Fotos:
Leonardo Costa Carvalho – @leo.costa.ay

Obras:
Urban Arts Oscar Freire – @urbanarts_oscarfreire

Dia Nacional do Futebol: 5 obras inspiradas no esporte mais amado do Brasil

⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅

Seja chutando latinha, com trave feita de chinelo, na rua, campo ou terrão, o futebol é uma paixão nacional que rompe barreiras. Vira o principal tema de debates nas rodas de amigos, conversas em bares, pausas para o café no trabalho e até mesmo no ponto de ônibus.

Para muitos, é a principal programação para as tardes de domingo ou noites de quarta. Um amor passado de geração em geração e difícil de explicar que, nesta terça-feira (19), merece ainda mais destaque: hoje celebramos o Dia Nacional do Futebol.

Presente nos quatro cantos do país, seja em clubes, vielas, ruas, quadras ou praias, não poderiam faltar obras de arte inspiradas por essa cultura nacional. Pensando nisso, no #UAblog de hoje selecionamos cinco peças do nosso acervo que celebram esse esporte. Vem com a gente!

Arte para transformar o ambiente: confira um antes e depois do quarto do ator Rodrigo Sant’Anna

Recém mudado para São Paulo, ator aceitou o convite da Urban Arts para ter um cômodo do lar repaginado

Da esquerda para a direita: MINIMAL ABSTRACT ART COUPLE, por ThingDesign / ABSTRACT FLORAL ART 3, por LeaDArt / MINIMAL WOMAN WITH A PALM LEAF, por City Art

A arte tem o poder de tocar a alma das pessoas, fazer conexões com o mundo e com a realidade em que vivemos. Através do olhar de um artista, é possível criar significado e representatividade. Da mesma forma, uma obra de arte também pode trazer mais vida e energia ao lar, transformando completamente um simples ambiente.

Uma das missões da Urban Arts é espalhar arte com o seu vasto acervo de mais de 200 mil opções de obras, que possibilitam levar composições originais e cheias de personalidade para a casa das pessoas. Nesse sentido, a marca aposta na praticidade de transformar os espaços com seus quadros e, para isso, convidou o ator Rodrigo Sant’Anna, que acaba de se mudar para São Paulo, para participar de um antes e depois. 

Obra: ABSTRAÇÕES H 4, por Desmond Bates

Ele queria trazer mais personalidade para sua nova casa e, com a ajuda da Urban Arts e do arquiteto Vitor Zonderico, responsável por planejar e executar o antes e depois, decidiu começar a mudança pelo quarto. O espaço passou por uma pequena intervenção, com pintura e decoração, antes de receber os quadros.

Duas novas cores de tinta deram mais dinamismo para a parede e uma prateleira foi instalada para receber alguns objetos de decoração. Por fim, consultores especializados da Urban Arts o ajudaram a montar suas composições. O resultado final ficou do jeito que ele imaginou! Confira no vídeo abaixo:

Além da decoração do quarto, Rodrigo Sant’Anna também utilizou quadros da Urban Arts nos demais ambientes da casa. Conheça as artes escolhidas por ele e inspire-se:

1.    ABSTRAÇÕES H 4, por Desmond Bates;
2.    ABSTRACT FLORAL ART 3, por LeaDArt;
3.    AMOR GERA AMOR, por Lôla;
4.    AMOR, PAZ E COBERTOR, por BMRQX;
5.    LINE ART – FLOWER 04, por My Favorite Arts;
6.    FORMAS GEOMETRICAS – 224ª, por Uillian Rius;
7.    JOHANNES II, por Saraah Lee;
1.    KITCHEN BW1, por Ana Solis;
2.    KITCHEN BW2, por Ana Solis;
3.    MINIMAL ABSTRACT ART COUPLE, por ThingDesign;
4.    MINIMAL FLOWER 07, por My Favorite Arts;
5.    WHISPER 2, por dada22;
6.    YELLOWSTRACT, por Arte Sutil & Co;
7.    JANELAS 1, por Marcio Alek;
1.    MINIMAL WOMAN WITH A PALM LEAF, por City Art;
2.    MULHER SOLITÁRIA, por Fernanda Gomes;
3.    LINHO GEOMÉTRICO – DÍPTICO A, por Danilo de Alexandria;
4.    LINHO GEOMÉTRICO – DÍPTICO B, por Danilo de Alexandria;
5.    LINHAS E FORMAS ABSTRATAS, por Fredissimo;
6.    ORANGE JUICE II, por Lívia Mendes;
7.    PIETÁ, por Mauro Nakata;
8.    SUMMER LEAVES, por City Art.

Como montar uma galeria de quadros em cada cômodo da casa

Confira as principais dicas para acertar na composição de obras de arte em qualquer ambiente

⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅

A arte é capaz de transformar qualquer ambiente, no entanto, pendurar o quadro muito alto, colocar artes muito pequenas em relação aos móveis ou, até mesmo, não montar corretamente a composição são alguns dos erros mais comuns cometidos por quem está decorando algum ambiente com obras de arte.

Em meio a tantas possibilidades, criar uma galeria de quadros dentro de casa pode parecer um verdadeiro desafio. Mas acalme-se: no #UAblog de hoje selecionamos as principais dicas para não errar na hora de preencher uma parede vazia de qualquer cômodo, seja na sala, quarto, hall ou lavabo. Vem com a gente!

Obras: She 9 H da Helo e She 9 G da Helo, por Helo Moraes

Sala

Em casa, um dos locais mais importantes para colocar quadros é acima do sofá. Essa área é tradicional para quem está montando uma decoração especialmente pelo volume do móvel que é grande e pede uma decoração complementar. Neste local, temos o exemplo perfeito para aplicar a famosa regra dos dois terços, que funciona assim: em um sofá com dois metros e dez, a composição deve ocupar no máximo um metro e vinte, por exemplo.

Você pode usar essa técnica para formar composições de diferentes maneiras. Uma opção é formar uma galeria triangular, quando são colocados quadros maiores embaixo lado a lado e alinhados na parte de baixo enquanto o menor é colocado acima deles, formando um triângulo imaginário. Em todos os casos, é preciso lembrar que a composição deve ficar pelo menos 25 cm acima do encosto do sofá.

Além disso, nem toda composição precisa estar centralizada com o móvel. É possível tornar outros elementos já existentes partes da formação. Para isso, basta equilibrar o lado oposto ao elemento com uma dupla de quadros com tamanhos diferentes, por exemplo.

Na sala, o canto da poltrona também não deve ser esquecido. Você pode apostar na combinação clássica de poltrona, luminária e quadro. E atenção: caso o quadro for pequeno, prefira pendurá-lo bem próximo ao móvel para manter a harmonia no espaço.

Obras: ThinkerNovelo 003Dobra e Abstract Minimalist Composition

Hall do elevador e lavabos

Muitas vezes o hall do elevador ou mesmo o lavabo costumam ser ambientes pequenos e, na hora de pendurar uma arte, podem surgir muitas dúvidas sobre o tamanho e a quantidade. Nestes casos, aposte em artes que tenham detalhes para ser vistos de perto.

Em espaços pequenos também é possível criar uma galeria, no entanto, a distância entre as peças não deve ser grande, ficando entre 5 cm a 10 cm. Se as obras tiverem mais ou menos o mesmo tamanho, em uma composição vertical, o quadro do meio deve ficar com o centro a um metro e meio do piso.

Corredor

Muita gente tem dúvida de como decorar um corredor. Nesse tipo de espaço, criar galerias lineares pode ser uma ótima opção, com quadros alinhados de forma horizontal. Para quem tem um pé-direito mais alto, também é possível alinhar quadros por baixo e outros em cima, formando uma espécie de triângulo visual.

Obra 1: Breu, por Iohan / Obra 2: Far Below 2, Cinza Neutro Gray Oceano Abstrato Pintura, por Julia Di Sano
Obra 3: Downpour 1, por Julia Di Sano

Quartos

Nos quartos, atrás da cama, as dicas são as mesmas do sofá. Por ser um objeto com um volume grande, a cama demanda que, se for utilizada apenas uma arte, ela precise ocupar pelo menos dois terços do tamanho da largura da cabeceira.

Em uma composição com dois quadros ou um trio com o mesmo tamanho, as peças podem ocupar quase o mesmo tamanho da cabeceira. Outra ideia é posicionar sobre as mesas de cabeceira e deixar a área sobre a cama livre.

Dia Mundial do Rock: conheça a história das 5 capas mais icônicas do gênero

⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅

Polêmicas, paixões, excessos, gritos de protesto, rebeldia, atitude e música no último volume – talvez sejam esses os principais ingredientes que compõem a receita do verdadeiro Rock n’ Roll, que é muito mais do que simplesmente música, mas um verdadeiro estilo de vida.

Nesta quarta-feira (13), celebramos o Dia Mundial do Rock e, em meio à gloriosa história desse gênero, existem músicas e artistas que foram imortalizados, atravessando gerações de fãs.

Seja você da ‘geração Spotify’ ou daquelas que curtiram o auge dos vinis, outro aspecto marcante nesse estilo musical são as capas dos álbuns consagrados. As ilustrações ou fotografias utilizadas sempre vão além do caráter estético. Em alguns casos, elas fazem tanto sucesso que se tornam um produto à parte, tornando-se mais reconhecidas do que as próprias músicas.

Cheias de criatividade, selecionamos neste artigo cinco capas icônicas do rock e algumas obras do nosso acervo inspiradas nelas para você levar a música para as paredes de casa. As artes, desenvolvidas por designers, artistas plásticos e fotógrafos, também são cheias de história e curiosidades sobre suas origens. Por isso, contamos aqui um pouco mais sobre a criação de cada uma delas. Confira:

UA BOWIE, por Raccoon

Se pedirmos para você pensar em David Bowie, provavelmente a primeira imagem que virá em sua mente é o rosto de Bowie maquiado com um raio sobre ele. Essa figura, no entanto, é arte de capa de um dos álbuns mais consagrados do camaleão do Rock, o Aladdin Sane, lançado em 1973.

A fotografia tirada por Brian Duffy é um dos principais símbolos do gênero e constantemente copiada por fãs do mundo todo em homenagem ao roqueiro. A grande curiosidade é que, mesmo sendo tão reconhecida, Bowie nunca usou essa maquiagem em suas apresentações.

O álbum The Dark Side of the Moon, muitas vezes lembrado no Brasil como o prisma do Pink Floyd, foi lançado em março de 1973. A capa do disco foi elaborada pelo estúdio Hipgnosis, responsável por grandes artes de capas de todos os tempos.

Seu significado, no entanto, ainda gera muitas discussões. A arte – um feixe de luz transpassando um prisma e se transformando em um espectro de cores – criada pelo designer Storm Thorgerson, alimenta diferentes interpretações e teorias da conspiração até hoje.

Para conseguirem ideias para o design, Storm e a banda chegaram a visitar as pirâmides do Egito. E, apesar das inúmeras ideias que podem surgir ao contemplar a capa, a arte corresponde ao objetivo do álbum: apresentar a complexidade de diferentes temas que os músicos queriam tratar em suas músicas.

Os Ramones buscavam criar uma capa com um estilo parecido com ‘Meet the Beatles!’ para o álbum de estreia da banda, lançado em 1976. Ao que parece, no entanto, a banda não levava jeito para ensaios fotográficos e, após várias tentativas frustradas, foram obrigados por optar pela simplicidade.

A ideia executada foi uma foto da banda alinhada em uma parede, que viria a ser reproduzida no mundo todo. A imagem clássica dos Ramones foi feita pela fotógrafa Roberta Bayley e está na Lista das 100 Melhores Capas da História da revista Rolling Stone.

O álbum Nevermind, do Nirvana, é considerado um dos mais consagrados do rock. Lançado em 1991, o disco foi um dos mais vendidos do mundo e superou Michael Jackson nas paradas da Billboard 200 no ano seguinte.

A famosa capa foi criada pelo fotógrafo subaquático Kirk Weddle. Na ocasião, ele telefonou para um casal de amigos perguntando se poderia realizar um ensaio com o filho deles de poucos meses, em uma piscina, para uma banda de rock em ascensão. O anzol com a nota de dólar foi inserido depois na imagem para criar o efeito visual. O recém-nascido que estampou a capa do disco é Spencer Elden e atualmente mora em Los Angeles.

A capa de Abbey Road, o último disco dos Beatles, estampou mais de 30 milhões de cópias vendidas e a foto logo se tornou uma das mais famosas da história. A ideia aparentemente simples, mas revolucionária, foi de Paul McCartney: registrar todos os músicos atravessando a rua. A foto foi tirada no dia 8 de agosto de 1969, por Iain MacMillan.

Provavelmente você já viu essas capas por aí, certo? Já conhecia a história por trás de cada uma delas? Na Urban Arts você encontra milhares de obras de arte relacionadas ao universo musical. O que está esperando para trazer um pouco da sua banda ou artista favorito para dentro de casa?

Como decorar a cozinha com quadros?

Confira três dicas para adicionar obras de arte no ‘coração da casa’

⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅

Espaço ideal para o convívio entre a família ou amigos e para o preparo de saborosas refeições, não é à toa que a cozinha é conhecida carinhosamente como ‘o coração da casa’. E com tamanha importância, a decoração deste ambiente merece uma atenção especial para tornar o espaço ainda mais convidativo e acolhedor.

Quando falamos em décor de cozinhas, é muito comum que a escolha dos eletrodomésticos e marcenaria sejam as principais preocupações na hora de desenvolver o projeto. No entanto, para criar um ambiente que se destaque pela beleza e conforto é fundamental não se limitar ao básico e buscar inspirações que fujam da caixa.

Excelentes aliados para repaginar ambientes inteiros sem grandes intervenções, os quadros já são velhos conhecidos e muito utilizados em salas de estar ou jantar, quartos e lavabos. Por outro lado, essas peças ainda são pouco exploradas nas cozinhas. Pensando nisso, no #UAblog de hoje selecionamos três dicas para decorar a cozinha com quadros. Vem com a gente!

Obra 1: EOG Part II, por Melina Delazari
Obra 2: OEG, por Melina Delazari

Escolha a composição de acordo com o espaço livre

Escolher o tamanho do quadro ideal para a cozinha é uma das principais dúvidas na hora de decorar esse ambiente. Para acertar na aposta, no entanto, é fundamental levar em conta o tamanho do cômodo e já ter pré-definido onde a obra de arte será instalada.

Em uma parede grande e vazia, por exemplo, um único quadro em grande formato pode ser suficiente. Já caso o espaço conte com um móvel encostado nele, uma composição será mais certeira.

Obra 1: Cozinha Kitchen Analogico, por Rodrigo Kristensen
Obra 2: Coffee Break II, por Praniski
Obra 3: Coffee Café 2, por REB Design

Aposte em obras que dialoguem com o estilo de decoração

Para manter a harmonia no ambiente e dar mais personalidade ao décor, é muito importante que, antes de definir as obras que serão penduradas, você reflita se elas iram combinar com a proposta de decoração da sua cozinha.

Em um projeto mais minimalista que tenha o branco como protagonista, por exemplo, aposte em peças que ofereçam mais cores ao ambiente. Obras com estilo geométrico e as figurativas são excelentes opções para dar mais personalidade nestes casos. Já em uma ambientação mais industrial, fotografias e peças em preto e branco são boas pedidas.

Outra dica interessante é apostar em uma mescla entre obras coloridas de frutas e temperos ao lado de uma mini horta e outros suportes para utensílios, a fim de despertar ainda mais o paladar e o efeito visual no ambiente.

Projeto assinado pelo escritório @unic.arquitetura Foto: @macarios

Prefira molduras com vidro e evite áreas com muita umidade

Devido ao preparo das refeições e a grande circulação dentro do cômodo, a cozinha é um dos ambientes que mais exigem uma limpeza frequente. Para facilitar a rotina, a dica é dar preferência para os quadros com estrutura de vidro e evitar posicioná-los muito próximos ao fogão.

De qualquer maneira, evite limpar as molduras com qualquer tipo de produto de limpeza. Elas devem ser limpas exclusivamente com um pano úmido (bem torcido). Antes de fazer este processo, tire a poeira da peça com um pano seco. Também é importante ficar atento e conferir a parte de trás da moldura, para se certificar que ela está livre do ataque de traças e insetos.

Uma nova paixão, uma nova profissão: conheça o trabalho de Suellen Ranalli

⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅

Nascida em Bauru – SP e erradicada em Londrina, no interior do Paraná, a #UArtist Suellen Ranalli, inicialmente, teve uma trajetória profissional distante da arte. Formada em Administração e Marketing, a artista passou longos anos trabalhando com gestão de pessoas.

AS DUNAS DE FLORIPA – PB, por Suellen Ranalli

Antes impensada, a fotografia surgiu na vida de Suellen de forma inesperada, com influência do marido. “Casei com um Fotojornalista e na vida profissional troquei a coordenação de pessoas pela análise de imagens, trabalhando com indexação de fotos para um banco de imagens. O contato diário com fotos de dezenas de profissionais do fotojornalismo, da fotografia documental, fotografia outdoor e outras tantas áreas do mundo das imagens me despertou para essa arte”, explica.

Já imersa no universo fotográfico e com um olhar mais apurado para o fazer artístico, a artista se interessou em criar as próprias imagens e tentar traduzir o seu olhar para o mundo. Assim que ela tocou a câmera, foi paixão à primeira vista. “Quando peguei a câmera profissional pela primeira vez consegui entender o porquê fotógrafos são apaixonados pelo que fazem. Quando consegui enquadrar naquele pequeno retângulo do visor a maneira como eu enxergava o mundo e as coisas ao meu redor, todas as sensações que senti… Aquilo tudo me despertou para o sentimento de ter encontrado a mais prazerosa profissão”, relembra Suellen. 

Influenciada por grandes nomes da fotografia como Henri Cartier-Bresson, Richard Avedon, Miguel Rio Branco, Maureen Bisilliat e Sebastião Salgado, a artista explica que a fonte de inspiração surge, também, do cotidiano e de pequenos prazeres que a vida proporciona. “Não são só fotos que movem os mecanismos da criatividade e da inspiração, na poesia de Manoel de Barros, por exemplo, consigo ver imagens em suas palavras”, reflete.

Com mais de 2 mil obras disponíveis no acervo da Urban Arts, a fotógrafa busca imprimir em seus cliques as próprias percepções da natureza, do abstrato, do esquecido ou das cenas pouco admiradas pelas pessoas. “É uma maneira de me expressar, de muitas vezes enxergar e mostrar o que vejo, o belo nas cenas, lugares e coisas que acabam passando despercebidas para a maioria das pessoas”, afirma.

Já conhecia o trabalho de Suellen Ranalli? Comente aqui de qual obra você mais gostou e aproveite para conferir outras peças da artista em nosso site!

Acolhimento e feminilidade em projeto por Blanc Arquitetura

⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅

Vanessa Schmidt é graduada em Arquitetura e Urbanismo e Pós-Graduada pela Univali. Com especialização em Barcelona, Vanessa atua há 20 anos como profissional e está há 10 anos à frente do escritório Blanc, empresa de Arquitetura e Decoração localizada em Balneário Camboriú.

Com uma equipe qualificada e criativa, o escritório atua no desenvolvimento de projetos, personalização e decoração de interiores. “Nossa particularidade é o profissionalismo, o atendimento, a forma como lidamos com o escritório. Somos uma empresa que se preocupa com todos os detalhes”, comenta a arquiteta.

Obra: LADY WITH FLOWERS (PORTRAIT), por dada22 Foto @deehousedesign

No projeto que você confere no #UAblog de hoje, Vanessa recebeu o desafio de desenvolver o projeto de uma clínica que surgiu de uma parceria entre cinco Psicólogas e Psiquiatras, a Clínica Setting.  

Cada profissional apresentava um estilo único, no entanto, mesmo com as diferentes personalidades, as clientes tinham bem claro o que queriam em para a clínica: o pedido foi criar um espaço que fosse aconchegante e expressasse a feminilidade.

Para criar um ambiente que transmitisse aconchego, conforto e bem-estar, além dos detalhes delicados, a arquiteta optou por utilizar tons de rosa combinados aos tons bege nos ambientes. O uso de cores mais alegres veio para complementar o efeito de descontração no espaço. Para os materiais, a madeira foi a aposta para reforçar o efeito intimista do projeto.

A obra de arte da Urban Arts, por sua vez, recebeu destaque especial no ambiente ao ser centralizada em uma parede contornada por fita de LED.

Arquiteta Vanessa Schmidt

Agradecimentos especiais:

Projeto – @blancarquitetura

Fotos – @deehousedesign

Obras – Urban Arts Balneário Camboriú
@urbanarts_bcamboriu